NOTA PESSOAL DE ESCLARECIMENTO SOBRE O PROJETO RONDON NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

DSC03033

Com crianças em Campo Alegre do Fidalgo, Piauí, na Operação Canudos do Projeto Rondon do Ministério da Defesa. Na disciplina Construção de Projetos Sociais Multidisciplinares da UnB, há o intercâmbio, sem hierarquização, do saber popular com o conhecimento científico, fazendo com que a produção em sala de aula tenha interação com as atividades de campo e vice-versa, além da construção coletiva entre estudantes de diversos cursos.

O Essencial é invisível aos olhos.

Antoine de Saint-Exupéry em O Pequeno Príncipe

Venho através dessa esclarecer que:

1-      Desde o 1/2011 atuo como professor da disciplina Construção de Projetos Sociais Multidisciplinares, código 200212, lotada no DEx/Decanato de Extensão da Universidade de Brasília, assim como muitos outros mestrandos, doutorandos ou pessoas que estão em outro tipo de situação mas felizmente não são perseguidas politicamente por este DEx ou outros órgãos da universidade;

2-      Além de mestrando, sou servidor desta instituição desde 03/05/2004, entrando com 20 anos por concurso e me orgulhando de todo o tempo que passei na UnB, mesmo com problemas de patrulhamento ideológico que em nada colaboram para a salutar diferença de pensamentos que se espera de uma universidade e de professores que se julgam educadores e formadores de opinião;

3-      Desde minha chegada ao Núcleo, em 4 semestres, contando todas as turmas pelas quais passei, apresento apenas quatro faltas em aulas presenciais;

4-      Durante esse período, estive como professor em várias turmas, sendo um dos responsáveis por solicitar a abertura da disciplina no noturno, o que ocorreu a partir do 1/2012, contemplando os estudantes trabalhadores da universidade que queriam conhecer o ensino em interface com a extensão;

5-      A prática docente de mestrandos é algo não somente comum mas indicada por diversos motivos, dentre eles o de aprendizado acadêmico, supressão de demanda reprimida de universidades públicas que, cada vez mais, tem menos condições de manter as disciplinas com professores do quadro ou substitutos ou por outros motivos que não convém explicar nessa nota;

6-      Um dos temas transversais abordados em minha dissertação é o Moodle e, por mais que a pesquisa não seja na disciplina supracitada mas sim na UAB/UnB nos cursos de Pedagogia e Biologia, utilizo esse conhecimento para aperfeiçoar o aprendizado dos estudantes em espaço extra-classe presencial;

7-      Acompanho in loco as saídas de campo aos sábados de praticamente todas as turmas do curso, organizando as atividades que são realizadas na Horta Comunitária e Escola Zilda Arns do Itapoã, dentre outras;

8-      Praticamente todos os estudantes que fizeram alguma saída de campo ao final do semestre, em que se passa um período em algum município do Brasil, passaram por capacitação elaborada por mim juntamente com outros professores e monitores;

9-      Nesses dois anos como professor, jamais registrei um só pedido de revisão de menção por parte de qualquer um dos quase duzentos estudantes que cursaram a disciplina comigo, justamente pelo fato da avaliação ser processual e toda ela fiscalizada, desde o início, por todos os discentes, que podem a qualquer momento solicitar revisão de alguma nota, fazendo com que não ocorram pendências ao final do semestre;

10-  Além de não registrar nenhum tipo de revisão de menção, tenho ótima avaliação por parte dos discentes, o que pode ser comprovado nas avaliações que faço ao longo do curso e que tenho guardadas comigo até hoje, comprovando a eficiência do processo e a sua amplitude para as demais turmas da disciplina;

11-  Tenho ótimo relacionamento com os professores, tanto do campus Darcy Ribeiro como do campus FCE e de outras instituições que já trabalharam comigo no Projeto Rondon, sendo que sempre trabalhamos em conjunto e obtivemos ótimos resultados;

12-  Desde a última semana, não tenho mais acesso à disciplina Construção de Projetos Sociais Multidisciplinares – 2/2012 no Moodle, o que impede a comunicação com as turmas e a conclusão do processo de avaliação com os estudantes;

13-  A atual forma de avaliação que consta no programa da disciplina, assim como de participação nos fóruns do Moodle, foi criada única e exclusivamente por mim e em momento algum dei autorização para que isso fosse utilizado por outras pessoas sem o meu consentimento;

14-  A atual gestão do DEx, não bastasse demonstrar sua incompetência política no processo de transição do coordenador do Núcleo, revela sua total incapacidade técnica de administrar as aulas presenciais em construção coletiva com os monitores e operacionalizar o Moodle, com atraso para abertura dos fóruns e desconhecimento de ferramentas simples como deixar o fórum visível para o trabalho dos discentes ou responder questões básicas sobre a disciplina, o que tem deixado as turmas impacientes e inseguras quanto ao processo avaliativo que vinha sido cumprido não somente nesse semestre mas em todos os outros;

15-  Estranha-me que a atual decana Thérèse Hofmann Gatti, que participou comigo da elaboração do curso de Formação de Tutores a Distância em 2010 da UAB/UnB e é coordenadora do curso de graduação a distância em Artes Visuais pelo mesmo sistema, além de ter orientado vários trabalhos na graduação e pós sobre esse tema, como revela seu lattes, desconheça o funcionamento das ferramentas mais simples da plataforma Moodle, tendo que ligar para monitores para ser orientada;

16-  Nos dois últimos anos passei em diversos órgãos governamentais, federais e do GDF, bem como em empresas privadas, sempre em meu nome, recolhendo material para que pudessem ser aprimoradas as ações de extensão dos estudantes dentro da sala de aula e nas atividades de campo;

17-  Ao me ausentar de Brasília para participação na Operação Canudos do Projeto Rondon do Ministério da Defesa, no município de Campo Alegre de Fidalgo, Piauí, fui surpreendido pela mudança arbitrária da fechadura da sala do Núcleo, deixando que meu material fosse disponível somente através de uma cópia da chave deixada com uma monitora, criando um empecilho antes não existente para o acesso direto ao material que recolhi, fazendo-me sentir subtraído de tempo, despesas com a busca e principalmente autonomia didático-pedagógica para as atividades acadêmicas;

18-  Em quase dez anos trabalhando com comunidades, seja em ações de extensão universitária ou outras, é ultrajante passar por esse tipo de situação e penso que os estudantes tenham a mesma opinião;

19-   Depois de muito pensar, avaliei que o melhor a se fazer é comparecer à aula dessa semana para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido, deixando a disciplina a partir de então para que o DEx faça a continuidade da forma que melhor lhe aprouver, esperando não encontrar seguranças patrimoniais da UnB bloqueando a entrada da sala, o que iria piorar sobremaneira uma situação que já causou enormes prejuízos não somente para o DEx mas principalmente para os discentes que não tem nada a ver com essas questões políticas que parecem ser de cunho pessoal;

20-  O meu afastamento da plataforma Moodle não tem motivações legais, pois outras pessoas continuam com perfil de facilitadores, da mesma natureza técnica do que eu utilizava;

21-  Meu afastamento da disciplina tem também motivações políticas, visto que Thérèse tem recalques por nunca ter aceitado a derrota política que sofreu ao abrir processo de sindicância contra mim em 2005 e não ter conseguido lograr êxito, não fazendo nada contra o racista Marcelo Valle Silveira Melo – a outra parte interessada do processo –, que se beneficiou dessa sindicância pra tentar se livrar dos crimes que cometera;

22-  Esse racista, que foi beneficiado pelo racismo institucional da UnB, foi preso pela Polícia Federal em 22/03/2012 no Paraná, acusado de planejar um atentado na UnB e de manter um blog intolerante, história que pode ser melhor conhecida aqui: https://ayanrafael.wordpress.com/2012/03/26/marcelo-valle-silveira-mello-um-racista-alimentado-pela-unb/

23-  Repudio qualquer tentativa de assédio moral, seja por meios virtuais ou presencialmente, de estudantes, monitores e professores que se manifestaram contrariamente à desorganização gerada pelo DEx, bem como rechaço tentativas de intimidação por processor ou outros que não concordam com a política de desmonte da extensão promovida pelo DEx; e

24-  Mesmo não tendo mais acesso ao Moodle e ainda que não tenha culpa por toda a crise gerada pelo DEx, peço desculpas por todo esse transtorno e solicito divulgação desta nota na plataforma Moodle, redes sociais, listas de e-mail e afins, para que todas as pessoas, sobretudo os estudantes da disciplina, possam compreender o momento pelo qual estamos passando.

Despeço-me de forma triste mas torcendo para que as coisas se resolvam da melhor forma possível para os estudantes e comunidades trabalhadas pelo Núcleo do Projeto Rondon UnB, ainda que para isso haja a promoção de um grupo famoso por patrulhamento ideológico e inquisição não só de opositores mas de indiferentes.

Att

Rafael Ayan Ferreira

Brasília, 28 de janeiro de 2013.

Anúncios

Sobre ayanrafael

Pedagogo, Mestre em Educação pela Universidade de Brasília e graduando em Serviço Social pela mesma universidade. Professor de Atividades da SEEDF (Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal).
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s